Aparelhos de depilação: uma excelente opção de investimento

22 de agosto de 2017. Categoria(s): Depilação Equipamentos

Quando o assunto é estética, o Brasil se firma como um dos maiores mercados do mundo independentemente de crise ou não. De acordo com dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o país está em quarto lugar no ranking mundial de consumo de produtos e serviços ligados ao setor de beleza. São U$ 30,4 milhões gastos anualmente pelos brasileiros, atrás apenas de Estados Unidos, China e Japão em um mercado que gira próximo aos R$ 42 bilhões por ano.

Dentre os inúmeros serviços oferecidos em solo brasileiro, alguns têm ganhado destaque nos últimos anos. Um deles é o mercado de depilação, que já se tornou o terceiro maior em termos de faturamento das franquias nacionais. Hoje, uma estimativa do Grupo Multi-Franquias aponta que 27 milhões das mulheres brasileiras se depilam com os serviços de profissionais todos os anos.

E uma pesquisa do Instituto Qualibest encomendada pela Vagisil quis mostrar em detalhes esse padrão. Segundo os dados do levantamento, 73% das mulheres brasileiras que se depilam com frequência fazem isso com o auxílio de uma lâmina, seguidas pelas que usam cera quente (30%). Os aparelhos de depilação elétricos são usados por 12% das mulheres enquanto os métodos definitivos como depilação a laser e fotodepilação são a preferência de 5% das brasileiras.

Mas os números do último grupo têm aumentado com força nos últimos anos, encabeçados pelos homens que hoje já são responsáveis por 20% a 30% do setor e também pela percepção crescente da equação de custo/benefício desse procedimento.

Crescimento da demanda incentiva mercado de aparelhos de depilação

A depilação é um hábito que permeia a humanidade há mais de 4 mil anos, quando as mulheres retiravam os pelos com o uso de cinza quente. Na Grécia Antiga, começou-se a utilizar uma pasta à base de vegetais e argila e mais tarde a cera de abelha, que daria luz aos procedimentos com cera utilizados até hoje.

Já a popularização dos métodos definitivos de depilação têm crescido vertiginosamente na última década devido ao aumento da procura de homens e mulheres, às diversas opções de aparelhos de depilação disponíveis no mercado e ao acesso da população a informações e a renda necessária para realizá-los.

Tanto é que uma pesquisa conduzida pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo SPC Brasil, intitulada “Potencial do Mercado de Beleza”, de julho de 2016, afirma que 38% dos entrevistados têm a pretensão de fazer um procedimento de depilação definitiva em algum momento, o que equivale a 56,6 milhões de consumidores brasileiros. 10% dos entrevistados, no entanto, planejavam iniciar o tratamento ainda dentro dos próximos 12 meses.

O principal empecilho citado para a não realização desse procedimento é o alto valor financeiro necessário para iniciá-lo. Mas esse argumento já está caindo por terra, uma vez que hoje várias clínicas oferecem preços convidativos e atraentes, além de uma forma de pagamento parcelado.

Outra mudança importante nos últimos anos para o mercado de aparelhos de depilação é que os equipamentos comercializados hoje permitem uma técnica menos dolorosa – outro grande medo dos consumidores. Por exemplo o laser de Alexandrita torna os procedimentos quase indolores, já que usa jatos de gás resfriado para amortecer a pele antes dos raios de laser.

O fato de a depilação a laser também não possuir contraindicações alérgicas e a praticidade que agrega à vida de pessoas que moram em países tropicais e que constantemente estão com a pele à mostra fizeram do setor desse tipo de depilação um dos que cresce mesmo em meio à crise econômica. Segundo o Senac, o crescimento das empresas ligadas a esta esfera está próximo aos 30% nos últimos cinco anos.

Mas para garantir o bom rendimento com essa área é fundamental possuir bons equipamentos e associá-los à capacitação profissional e a um bom atendimento ao cliente. Com isso, estimativas apontam que em dois anos é possível obter o retorno total do investimento em aparelhos de depilação, além de pacientes mais satisfeitos com a clínica.