Tecnologias para melhorar as ofertas de uma clínica de dermatologia

O mercado de tratamentos estéticos cresceu 9% no mundo em 2016. O Brasil é o segundo país em que a população mais procura este tipo de tratamento. Um dos fatores que faz com que este setor cresça e atraia cada vez mais clientes é o conjunto de benefícios trazido pela tecnologia. Descubra como equipamentos de ponta podem ajudar a sua clínica de dermatologia a oferecer serviços melhores e mais eficazes.

A SBNE (Sociedade Brasileira de Nutrição em Estética) lista nada menos que 46 procedimentos na seção “ABC dos Tratamentos Estéticos”. Muitos destes tratamentos só são possíveis, atualmente, com a adoção da tecnologia em cada clínica de dermatologia e consultório de tratamento estético.

Pode parecer um esforço grande, inicialmente, mas investir em um mercado dinâmico, sempre com tecnologias novas, ajuda para que este investimento se pague muito rapidamente. Sem contar que a compra de seus próprios equipamentos pode influenciar decisivamente para que a sua clínica de dermatologia amplie o número de clientes e os fidelize.

As 6 tecnologias em alta para uma clínica de dermatologia

A primeira dica para você que tem uma clínica de dermatologia e quer investir em novas tecnologias para atender melhor ao seu público e ampliar a oferta de tratamentos é planejar este investimento. Procure no mercado os equipamentos mais conceituados e que vão permitir que você dê um upgrade na oferta de serviços da sua clínica.

Depois de fazer uma boa pesquisa de fornecedores, o passo seguinte é avaliar se você tem capital próprio para fazer este investimento ou se é mais vantajoso acessar a uma linha de crédito disponível no mercado.

Também é importante você estudar que novos tratamentos você poderá oferecer a curto e a médio prazo para os seus públicos potenciais, quanto a sua clínica vai cobrar por eles – levando em conta os concorrentes do mercado – e em quanto tempo, observando o custo dos equipamentos, você terá o retorno do investimento.

Abaixo você poderá conferir as principais tecnologias que estão sendo adotadas cada vez mais pelas clínicas para os tratamentos dermatológicos. Confira quais podem lhe interessar mais:

1. Laser

Esta tecnologia utiliza um feixe de luz que atua nas camadas mais superficiais da pele. O efeito prático é que os tratamentos utilizando laser acabam propiciando um intenso rejuvenescimento do local no qual a tecnologia é aplicada.

O laser normalmente é utilizado nos tratamentos de peles envelhecidas e manchadas que aparecem na face, nas mãos e no colo. Entre os modelos de equipamento que utilizam esta tecnologia, os que estão em alta são os que utilizam os lasers fracionados.

Estes modelos permitem que você trate apenas frações da pele, tornando o tratamento mais suave e, desta forma, acelerando o processo de recuperação da pele.

Há equipamentos no mercado para o tratamento de lesões pigmentadas e que também utilizam o laser para tratar lesões vasculares e para fazer depilação, como é o caso do Candela GentleLase Pro.

2. LED

A luz do LED (Light Emitting Diodes) tem um efeito biomodulador e anti-inflamatório, por isso esse tipo de tecnologia é utilizada para tratamentos reparadores e regeneradores. Entre os efeitos dos equipamentos que utilizam LED estão o aumento da elasticidade, a melhoria de cicatrizes e a melhora da textura da pele.

Além dos tratamentos faciais, o LED é utilizado no couro cabeludo e em outras regiões do corpo no processo que muitos chamam como fototerapia. Os diodos de semicondutores que produzem a luz do LED são capazes tanto de estimular como de inibir determinadas atividades celulares.

A modulação provocada pelo LED pode ser utilizada para diferentes tipos de tratamentos e tem indicações múltiplas. Pode ser usado para tratamentos para praticamente todos os perfis de clientes por se tratar de uma tecnologia que permite um tratamento em qualquer tipo de pele.

3. Iontoforese

Essa tecnologia utiliza uma corrente monofásica para administrar de forma transcutânea (sob a pele) substâncias que serão utilizadas em outros tratamentos dermatológicos.

A aplicação dessa tecnologia compreende desde processos de hidratação, revitalização, pele com acne e até o combate de celulites. A iontoforese pode ser aplicada tanto na face quanto em outras partes do corpo.

4. Radiofrequência

Os equipamentos que utilizam a radiofrequência adotam uma tecnologia que emite energia de aquecimento que atua nos fibroblastos (células que sintetizam componentes como o colágeno, a elastina, as glicoproteínas e as proteoglicanas).

Ao atuar sobre os fibroblastos, a radiofrequência estimula a produção de fibras elásticas e colágenas e auxilia na contração destas fibras. O efeito prático desta aplicação é que ela reduz a flacidez e ajuda no rejuvenescimento da pele. A radiofrequência também melhora a oxigenação das células, reduzindo processos inflamatórios.

Uma tendência na adoção da radiofrequência é a aplicação dela em conjunto com outras tecnologias para que sejam obtidos resultados melhores nos tratamentos estéticos. O equipamento Legacy, por exemplo, combina radiofrequência multipolar com campos eletromagnéticos e a tecnologia VariPulseTM – Vácuo Pulsado, que permite o controle da temperatura em tempo real.

5. Microdermoabrasão

A tecnologia da microdermoabrasão utiliza equipamentos que pulverizam microcristais de alumínio ou de diamante de forma controlada para eliminar a camada mais externa da pele.

Este procedimento promove hidratação, redução de acne e manchas, melhora a textura da pele e ajuda no controle da oleosidade. Essa tecnologia permite uma esfoliação mais profunda com a utilização de equipamentos que podem ser aplicados na face ou em outras partes do corpo.

6. Criolipólise

Técnica de eliminação da gordura localizada por congelamento assistido. Alternativa para a lipoaspiração. Essa técnica trabalha com o princípio de que quando as células de gordura são expostas a um congelamento controlado, inicia-se um processo natural de eliminação de gordura (chamado apoptose).

Desta forma, as células de gordura presentes na área tratada são gradualmente eliminadas através do processo metabólico. Os adipócitos são mais suscetíveis ao frio do que outros tecidos como a pele, os músculos ou os nervos.